GRAU DE INFESTAÇÃO E PREFERÊNCIAS DE HEMIPARASITOS NA ARBORIZAÇÃO URBANA

Conteúdo do artigo principal

Theonizi Angélica Silva Albuês
Daiane de Moura Borges Maria
João Paulo Sardo Madi
Sidney Fernando Caldeira
Kamila Daiany Terres da Silva

Resumo

As ervas-de-passarinho compõem um importante recurso nutricional para a fauna ornitológica frugívora em vários ecossistemas. Porém, em grande intensidade, podem diminuir o vigor de suas árvores hospedeiras sendo necessário manejo adequado na arborização urbana, sem exaurir essa fonte de alimento aos pássaros. A hipótese de que existam hemiparasitos com especificidade de hospedeiro foi a motivação para este trabalho. Assim, foi realizado censo florístico arbóreo na UFMT, campus Cuiabá; registrada a infestação por gênero de hemiparasito presente, em quantidade e grau de infestação, além da quantificação de sementes do hemiparasito germinadas sem o desenvolvimento da parte vegetativa, cujos cotilédones necrosaram e morreram. Avaliaram-se 4265 indivíduos arbóreos, distribuídos em 46 famílias nas quais 16.52% foram identificados os gêneros PhoradendronPsittacanthus e Struthanthus, dos quais cerca de 90.0% eram Psittacanthus: A maior infestação ocorreu em 24 famílias, destacando-se Fabaceae (28.3%) e Combretaceae (25.6%) e as espécies Terminalia catappa, Anadenanthera peregrina e Vatairea macrocarpa. A presença de sementes germinadas do hemiparasito com cotilédones mortos é variável entre as espécies arbóreas e entre os indivíduos da mesma espécie. O destaque foi em Rutaceae, Areacaceae e Rubiaceae, e nas espécies Acrocomia aculeata, Caryocar villosum e Genipa americana L que apresentam indivíduos com potencial natural de controle, mesmo com a presença da fauna ornitológica frugívora e a dispersão do hemiparasito. De forma geral, a intensidade e o grau de infestação são baixos e não há infestação nas famílias Caryocaceae, Rutaceae e Rubiaceae, com destaque para as espécies Caryocar villosum, Murraya paniculata e Alibertia edulis.


Palavras-Chave: Erva-de-passarinho; Loranthaceae; Vegetação urbana.

Detalhes do artigo

Como Citar
Albuês, T. A. S., Maria, D. de M. B., Madi, J. P. S., Caldeira, S. F., & da Silva, K. D. T. (2023). GRAU DE INFESTAÇÃO E PREFERÊNCIAS DE HEMIPARASITOS NA ARBORIZAÇÃO URBANA. Revista Árvore, 47, https://doi.org/10.1590/1806–908820230000007. Recuperado de https://revistaarvore.ufv.br/rarv/article/view/263016
Seção
Artigos Cientificos - Ambiência